Animal atropelado, o que fazer?

 

Milhões de animais vivem hoje abandonados nas ruas, sujeitos a todos os tipos de infortúnios, incluindo atropelamentos. Para qualquer ONG, é impossível resolver este problema e salvar a todos, infelizmente. Cada abrigo de animais que existe hoje no Brasil possui um limite físico de animais que precisa ser respeitado. Caso o limite físico de um abrigo seja ultrapassado, são colocados em risco todos os animais que já são ali mantidos, tanto pela superlotação quanto pelas limitações financeiras. Por isso, e contando com a sensibilidade de todos, é necessário que cada cidadão ajude e trabalhe em prol dos animais. Somente assim é que o problema será resolvido.

O primeiro passo ao encontrar um animal atropelado é retirá-lo do local de risco, como por exemplo o meio da rua. Devido à dor, o animal pode eventualmente se tornar agressivo, não por maldade, mas sim porque ele sente dor e está morrendo de medo. Aproxime-se do animal com cautela, mostrando-lhe que está ali para ajudá-lo, e, somente quando ganhar sua confiança, tente removê-lo. Em seguida, encaminhe o animal a uma clínica veterinária. Durante o tratamento, comece a procurar por um adotante para o animal, caso não possa ficar com ele. Convide amigos para ajudarem a repartir as despesas do tratamento e da hospedagem e para encontrarem um adotante. No final, você terá salvado uma vida!

“A cultura de um povo se mede pela forma que ele trata seus animais”
(Manhatham Gandhi)